Por intermédio de Chico Vigilante, GDF decide manter os postos de trabalho da segurança privada

Depois de um longo entrave entre a diretoria do Sindicato dos Vigilantes, intermediado pelo deputado Chico Vigilante, e o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), o governo decidiu suspender a notificação do decreto que aprovou a redução em 25% dos trabalhadores em vigilância que atuam nas Secretarias de Saúde e da Educação do Distrito Federal.

Além disso, os vigilantes que já receberam aviso prévio neste período terão suas cartas de demissões suspensas.

A decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (04), depois de uma importante reunião, onde estavam presentes o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Jervalino Bispo, o deputado Chico Vigilante, os secretários de Planejamento e de Fazenda do DF, Leany Lemos e Pedro Meneguetti, e o governador, Rodrigo Rollemberg.

A decisão de cortar os postos de trabalho da segurança da saúde e da educação foi tomada ainda em meados de setembro, e a notícia pegou todos de surpresa, uma vez que a recomendação do corte das despesas atingiria 1,5 mil pessoas, que ficariam desempregados.

Desde o início, o deputado Chico se colocou na linha de frente para reverter esse quadro.

Para Chico Vigilante, caso as demissões se concretizassem, os hospitais, as UPAs e os centros de saúde ficariam “sem cobertura”. Além disso, seria uma perda para as escolas, que já têm um quadro de segurança abaixo do recomendado.

Logo na primeira reunião, Chico conseguiu que o governo adiasse as demissões por 30 dias, o que garantiu a manutenção dos postos de trabalho naquele período. O prazo dado foi para que os técnicos da Fazenda e do Planejamento realizassem um estudo mais detalhado para evitar as demissões.

A reunião desta quarta-feira foi a terceira realizada para discutir o tema e é o resultado de um esforço do deputado Chico, em conjunto com o Sindicato dos Vigilantes.

O parlamentar alegava que o desemprego iria na contramão da fórmula para driblar a crise. “Não se resolve uma crise demitindo trabalhadores, mas sim gerando mais empregos”, argumentava Chico.

Para ele, a vitória de hoje é uma demonstração da união da categoria e do compromisso do Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal.

Por Veronica Soares / Assessoria