População ainda aguarda implantação do Bilhete Único

Preste a completar um ano que assumiu a gestão do Governo do Distrito Federal, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) ainda não implementou o Bilhete Único no Distrito Federal. Durante a campanha eleitoral de 2014, Rollemberg prometeu que iria implementar o sistema em seis meses, mas o que era para ser uma realidade, ficou apenas na promessa.

Como se não bastasse o aumento nas tarifas, ônibus lotados e um serviço deficitário, Rollemberg suspendeu as tarifas mais baratas que garantiam o lazer de milhares de famílias nos fins de semana. Em sabatina realizada pelo DF-TV ainda na campanha eleitoral, o atual governador prometeu:

“O custo das passagens de transporte público será reduzido. Não tem como adotar a tarifa zero, medida proposta pelo meu partido (PSB), pois eu não saberia o impacto nas contas públicas. Mas garanto que, ainda no primeiro ano de governo, implantarei o bilhete único em todo o DF”, prometeu Rollemberg.

Ele disse ainda que iria reduzir a tarifa.

Se a tarifa fosse implementada no Distrito Federal, a economia que as famílias do Distrito Federal teriam com transporte público poderia ser revertida para investimentos que ficariam no próprio DF. Por exemplo: Hoje um trabalhador que mora no Grande Colorado e precisa se dirigir ao SIG diariamente, cinco vezes por semana, gasta R$ 14 reais por dia, o que no mês, representa um impacto de R$ 322 reais no orçamento.

Com a tarifa em vigor, este mesmo trabalhador gastaria apenas R$ 8,00 por dia.

Para Chico Vigilante, esta é uma promessa que o governador já deveria ter cumprido há bastante tempo. “Nas grandes cidades brasileiras o Bilhete Único já é uma realidade, a exemplo de São Paulo e Recife, onde você faz um grande percurso pagando apenas uma tarifa em ônibus articulados e integrados a outros modais” afirmou.

Chico Vigilante também destacou que é preciso fazer um enfrentamento maior às empresas de ônibus. “No governo do PT no GDF, nós acabamos com o cartel das empresas de ônibus”, disparou.

Jogou para 2016 – Em entrevista dada ao portal de notícias R7 no mês de setembro, o então secretário de mobilidade, Carlos Tomé, afirmou que falta a criação de uma rede de postos de recarga e venda dos cartões. Na mesma entrevista, o secretário apontou que precisa concluir a integração definitiva dos modais rodoviário e ferroviário.

Passagem mais cara do Brasil – Na campanha eleitoral de 2014, Rollemberg prometeu reduzir as tarifas. Infelizmente o que os cidadãos enfrentam é a dura realidade de ter a tarifa mais cara do País (R$ 4,00). Em seguida, está a cidade de São Paulo (R$ 3,50) e logo atrás, está o Rio de Janeiro (R$ 3,40).

Cidade administradas pelo PSB, partido do governador Rollemberg, Recife e João Pessoa tem passagens mais baratas e um sistema de transporte público um pouco melhor do que o DF. Em Recife e em João Pessoa a tarifa comum custa R$ 2,45.

Governador, cumpra a promessa e implemente o Bilhete Único. Restam 22 dias para que o ano acabe.

Confira o vídeo em que Rollemberg promete a redução das tarifas e a implementação do Bilhete Único no primeiro ano do seu governo (2015) Clique aqui

Por Marcos Paulo Lima / Assessoria