O golpe não prosperou por detalhes

Durante todo o processo de investigação da CPI dos Atos Antidemocráticos, na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), eu afirmei que o país enfrentou um golpe no dia 08 de janeiro de 2023.

Felizmente, os golpistas não tiveram condições de sustentar a ação, em grande parte, devido à não adesão dos militares, especialmente do exército. Neste sentido, é extremamente positiva a posição do então comandante do exército, o General Freire Gomes, e do seu substituto, o General Tomás Ribeiro, altamente legalistas.

Aqui cabe um registro ao depoimento do General Dutra, na CPI, que poucos se atentaram; onde destacou que quase todos os comandos regionais do exército são ocupados por generais de 4 estrelas. O único comando 3 estrelas é o Comando Militar do Planalto. Qual o motivo? Estar subordinado às determinações do Comandante do Exército.

A antecipação da data de diplomação de Lula para o dia 12 de dezembro, pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre Moraes, também foi imprescindível para a desarticulação do golpe. Afinal, naquele mesmo dia tentaram tocar fogo em Brasília, invadir o prédio da Polícia Federal, depredaram delegacias e incendiaram ônibus. Não conseguiram avançar.

Logo depois, vieram outras tentativas. No dia 24 de dezembro, véspera de Natal, colocaram uma bomba com 46 mil litros de querosene de aviação em um caminhão no aeroporto de Brasília. Seria o maior ato terrorista sofrido pelo Brasil. O aeroporto poderia ter explodido. Não conseguiram.

E o fatídico dia do golpe em si, 08 de janeiro, no qual invadiram a sede dos três poderes. Não conseguiram. As forças democráticas reagiram para conter a ação. Portanto, houve um golpe. Mas a pronta resposta das instituições do poder executivo e do Supremo Tribunal Federal, assim como o não engajamento do Exército, desarticularam toda a ação golpista.

O chefe do golpe, Jair Messias Bolsonaro, tem que parar na cadeia. Não adianta os filhotes de capiroto, como enfatizado pelo Alexandre Moraes, adotarem a narrativa de “velhinhas com a bíblia na mão”. Caiu por terra. “Ali não tinha um monte de oração para subirem e fazer oração”, destacou o ministro do STF. Eram golpistas que devem ser responsabilizados. Atentaram contra as instituições.

Viva a democracia! Parabéns às Forças Armadas por não embarcarem no golpe!

Chico Vigilante
Deputado Distrital