GDF quer condicionar pagamento de reajuste à aprovação do Pacote de Maldades pela CLDF

Foi realizada na manhã desta quinta-feira (1º) a primeira reunião entre o GDF e as centrais sindicais para negociação de um calendário de pagamento dos reajustes salariais dos servidores do Distrito Federal.

Essa rodada de negociações foi articulada pelos deputados do PT no decorrer da semana. Inclusive, foi essa articulação que já possibilitou o pagamento do décimo-terceiro salário aos aniversariantes do mês de agosto, que estava em atraso. E, também, o compromisso de não fazer qualquer alteração na licença-prêmio neste ano.

Foi ainda a partir desta articulação, que, no encontro de hoje, o Governador Rodrigo Rollemberg sinalizou com a possibilidade de pagamento da terceira parcela dos reajustes somente a partir do mês de maio do ano que vem. Mas para isso, sem perder o costume de aterrorizar os servidores, disse que só tem condições de pagar se a Câmara Legislativa aprovar o pacote de arrocho tributário, com o aumento de IPTU, TLP, ICMS, CIP e vários outros.

Para atingir seu intento, o governador pediu aos sindicalistas que exerçam pressão sobre os deputados distritais para a aprovação de seu pacote.

“Sobre essa condição do Governador Rollemberg, serei bem claro: Condicionar o pagamento dos reajustes, garantidos por lei, à aprovação de tributos, é chantagem, é indecoroso…É inaceitável”, disse o líder do PT na Câmara, deputado Chico Vigilante. “O que tinha de ser aprovado na Câmara Legislativa já foi. Aumento de IPTU, de CIP e de TLP é extorquir a população, principalmente, a de baixa renda”, afirmou o parlamentar.

Mas, com muito custo, se conseguiu um pequeno avanço. O GDF começou o ano dizendo que os reajustes eram ilegais. Foi ao Ministério Público e à Justiça e perdeu. Agora, já reconhece que deve pagar o aumento aos servidores. Só que nenhum servidor vai aceitar receber esses reajustes apenas em maio de 2016.

“O reajuste tem que ser pago agora”, é o que afirma o deputado Chico Vigilante.

Os representantes sindicais também foram incisivos em rechaçar a proposta de Rodrigo Rollemberg. Querem a solução para o pagamento dos reajustes de imediato. Sem isso, as diversas categorias podem entrar em greve no próximo dia 8 de outubro.

“Eu e o deputado Ricardo Vale ajudamos o Governo a arrumar R$ 1,2 bilhão para pagar os aposentados e pensionistas. Cabe agora, ao Governador Rodrigo Rollemberg determinar à sua equipe que encontrem fórmulas inteligentes de fazer o pagamento de todos os direitos trabalhistas”, concluiu Chico Vigilante.

A proposta do governo provocou indignação entre os sindicalistas representantes das categorias que estavam presentes na reunião. Para o coordenador do fórum dos servidores do DF, André Conceição, o governo tem condições de fazer o pagamento dos reajustes salariais, caso organizasse as finanças do DF. “Em hipótese alguma iremos abrir mão das perdas salariais e do reajuste, que foi conquistado através de muitas lutas. No pior da hipótese, nós queremos retroatividade do pagamento. Caso o governo insista nessa ideia absurda, iremos chamar indicativo de greve na próxima assembleia geral dos servidores, marcada para a próxima semana”, declarou.