Estão fazendo de tudo para desmoralizar as instituições brasileiras

Assistindo ao “Jornal Nacional” desta noite confesso ter chegado à triste conclusão de que determinados setores da nossa polícia judiciária, a Polícia Federal, que outrora já foi tão séria e respeitada, estão fazendo de tudo para desmoralizar as instituições.

Talvez o intuito seja o de causar uma baderna generalizada, no qual não se respeite mais nada, que desemboque em um processo de intervenção militar.

Porque, na edição desta noite do telejornal, ouvimos um absurdo vindo de um delegado da Polícia Federal. Para incriminar um ex-presidente da República, ele afirmou que suspeitava de que o codinome “amigo”, que consta de uma planilha da Odebrecht, se referia a Lula. E mais, afirmaram que o nome do ex-presidente também constaria de planilhas do ex-ministro Antônio Palocci.

Bom, agora, determinados delegados da Polícia Federal, na ânsia de aparecerem em telejornais e em grandes veículos de comunicação, surgem como verdadeiros videntes.

Todos lembramos que, até bem pouco tempo atrás, surgiram uns defensores que, em uma ação espetaculosa, tentaram incriminar Lula com base na pura convicção. Pois bem, agora, eis que surge um delegado da PF que não tem convicção, mas que tem uma suspeita de que o ex-presidente Lula seria o citado “amigo”.

Já não têm mais convicção, agora acham. É o “achismo” como subterfúgio para desmoralizar uma figura que o mundo inteiro conhece e sabe de sua seriedade, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Parecem querer reduzir a Polícia Federal ao que era nos tempos em que agentes federais e delegados foram colocados para caçar gado nos pastos.

Aonde fica a credibilidade das instituições? O que querem efetivamente com este tipo de insinuação e de provocação?Estaríamos caminhando rumo à desmoralização completa das instituições quando até mesmo um juiz de primeira instância determina a invasão do Senado Federal, instituição do Poder Legislativo e independente.

Parece que grande parcela da sociedade tem interesse em caminhar nessa marcha batida para a desmoralização completa das instituições. É o caso do Supremo Tribunal Federal que não se pronuncia a respeito e de setores do Ministério Público Federal que até colaboram com esse processo de descrédito.

Infelizmente, no dia de hoje se rompem todos os laços de decência, de independência e de moralidade. Estão levando esse país à bagunça e à baderna generalizada.

No futuro, quem vai pagar por isso?

Chico Vigilante, é deputado distrital pelo PT-DF