Em ato dos servidores, Chico Vigilante cobra: “Governador, cumpra a lei”

Milhares de servidores se postaram em frente ao Palácio do Buriti na manhã desta quinta-feira (24), pelo cumprimento das leis, que preveem o reajuste de 32 categorias, uma vez que o GDF ameaça não pagar a terceira parcela dos reajustes concedidos pela gestão passada.

A mobilização dos servidores começou logo cedo, à meia noite, com a indicação da greve de 24h. Trabalhadores de 32 categorias como Saúde, Educação, CEB, CAESB, DER, BRB e da Administração direta e indireta fizeram coro ao pedido de pagamento das conquistas e direitos debaixo de um sol escaldante.

Demonstrando seu irrestrito apoio ao movimento paredista, Chico Vigilante destacou que as conquistas dos servidores precisam ser respeitadas. “Os reajustes concedidos são legais, portanto governador, cumpra a lei – que é o que os servidores querem. E contem comigo nessa batalha de todos de vocês” afirmou.

Chico também falou sobre os ataques que o GDF tem desferido aos direitos dos servidores.

“Desde o dia 1º de janeiro de 2015, o GDF tem promovido uma verdadeira caça aos direitos dos servidores públicos”, finalizou.

Segundo a CUT Brasília, mais de 70 mil servidores cruzaram os braços nesta quinta-feira. Trabalhadores rurais e militantes do movimento estudantil se solidarizaram com a luta dos funcionários públicos.

Secretário Geral da CUT Brasília e coordenador do Fórum dos Servidores Públicos do DF, Rodrigo Rodrigues subiu o tom contra o GDF classificando o calote como uma afronta aqueles que fazem o governo funcionar.

“A adesão dos servidores revela o grau de insatisfação e indignação com o governador, que se recusa a negociar com o movimento sindical, descumpre promessas de campanha, impõe perdas graves à remuneração e à sobrevivência do funcionalismo, penaliza a população com aumento de passagens e impostos e, na prática, culpa os trabalhadores por uma crise financeira que não criamos”, criticou.

Fonte: Marcos Paulo Lima/ Assessoria