“Depoimento de Naime leva a crer que Exército não agiu para impedir depredações”, diz deputado Chico Vigilante

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Atos Antidemocráticos, deputado distrital Chico Vigilante (PT) – que acontece na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) – afirmou, após a reunião de hoje (16) que considerou bastante esclarecedor o depoimento do Coronel Jorge Eduardo Naime, coordenador do Departamento de Operações Especiais da Polícia Militar do DF no dia 8 de janeiro. De acordo com Chico, o depoimento do policial deixou para a CPI a missão de descobrir se procedem as informações de que o Exército não agiu para impedir os atos de depredação aos prédios da sede dos Três Poderes. “Esperamos agora que as autoridades que estão acompanhando os trabalhos desta comissão também tomem a iniciativa de se pronunciarem”, frisou.

O deputado disse ainda que a Casa vai consultar a procuradoria para saber se é possível convidar o oficial que estava coordenado o comando do Exército no Palácio do Planalto, no dia dos atos, para que ele possa dar seu depoimento à CPI, por conta da gravidade das informações relatadas pelo coronel Naime nesta quinta-feira. “Além da ingerência do Exército no dia, ficou muito claro que os golpistas se refugiaram num terreno pertencente à União, em frente ao quartel do Comando Geral do Exército e o Exército colocou tanques como forma de proteger essas pessoas em vez de ter agido para desocupar o acampamento montado por eles o quanto antes”, criticou Vigilante.

Anderson Torres – Em relação às falas da defesa do ex-secretário de Segurança Pública do DF e ex-ministro da Justiça no governo Bolsonaro, Anderson Torres, Chico Vigilante disse que ele foi reconvocado e será quantas vezes se recusar a depor na CPI. “Ele não é obrigado a vir aqui, mas vamos insistir no seu depoimento. Até porque o argumento apresentado, de que ele já depôs à Polícia Federal e agora ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não tem fundamento. Foram feitas perguntas a ele que em muita coisa são diferentes das que pretendemos fazer nesta comissão”, afirmou o parlamentar.

Vigilante também disse, ao ser questionado pelos jornalistas sobre contradições observadas nos depoimentos do coronel Naime sobre a área de inteligência e o da ex-subsecretária de inteligência do DF, feito na última semana, que tudo será checado e que se for o caso, a CPI poderá vir a convocar uma acareação de forma a apurar tudo da forma mais correta possível. “Não abriremos mão da boa apuração destes fatos, que foram gravíssimos e serão devidamente investigados até o final”, enfatizou Vigilante.

Acompanhe as redes do mandato mais atuante do DF:
facebook.com/chicovigilanteoficial
Instagram.com/chicovigilanteoficial
Twitter.com/Chico_vigilante