Convocados novos professores efetivos para 16 disciplinas

O governo do Distrito Federal publicou no diário oficial da segunda-feira (10) a nomeação de mais 240 professores efetivos de 16 disciplinas. Mesmo assim, o número não é suficiente para suprir a demanda existente atualmente nas escolas públicas do DF.

Os nomeados desta última chamada são apenas uma parte dos que passaram no concurso de 2013 para o cadastro reserva. Desde o início do ano, o deputado Chico Vigilante está recebendo a visita de professores que lhe pedem ajuda na luta pela nomeação. “No mês passado, solicitei à Secretaria uma lista de vagas destinadas aos professores efetivos que estão sendo ocupado por professores temporários”, lembrou Chico.

“A nomeação desses docentes é uma necessidade, não dá para as vagas de efetivos serem ocupadas por professores temporários. As escolas e os alunos estão precisando de professores em várias disciplinas. Enquanto deputado distrital, irei lutar para que outros professores sejam chamados o quanto antes”, disse chico.

Para a diretora Sindicato dos professores, Rosilene Corrêa, a nomeação dos 240 professores pode parecer positiva, mas o déficit da Secretaria ainda é muito grande.  “Tem disciplina que precisa fazer um novo concurso, como aquelas para séries iniciais e outras áreas”, ressaltou a professora.  “De qualquer maneira, as nomeações não são suficientes para suprir nem os cargos que foram gerados pelos aposentados de 2015”, disse. De Acordo com o Sinpro, apenas em 2015, 600 novas vagas foram geradas depois das aposentadorias. Essas vagam devem ser preenchidas por professores efetivos.

“Não tem segredo nenhum: para ter qualidade na educação, é preciso que as vagas sejam preenchidas por professores definitivos, que vai dar maior sequência ao trabalho.  A nomeação de temporários é uma forma de tapear a verdadeira necessidade.  Muitos que estão ocupando a vaga, pelo contrato temporário, também estão aguardando para ser chamado no concurso.Claro que qualquer nomeação é extremamente positiva, mas essa foi insuficiente.”, explicou Rosilene

Fonte: Veronica Soares/ Assessoria