Comemoração dos 32 anos da CUT lota plenário da CLDF

No dia em que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) comemorou 32 anos, sindicalistas das mais variadas categorias marcaram presença na Sessão Solene que homenageou a entidade.

A homenagem, realizada na noite da última sexta-feira (28) no Plenário da Câmara Legislativa, foi proposta pelo deputado Chico Vigilante (PT), que também foi o primeiro presidente da central.

“Muito me orgulha ter sido o primeiro presidente da CUT Brasília, que na época, ainda era CUT-DF. Enquanto trabalhador Vigilante, destaco que a CUT sempre teve papel fundamental nas lutas e conquistas não só da minha categoria, mas também, na de várias outras”, afirmou.

Falando sobre o histórico de lutas da Central, o atual presidente da entidade, Rodrigo Brito, destacou a importância da sessão solene. “É necessário resgatar a memória da Central para que a juventude conheça e construa mais 32 anos de lutas e conquistas”.

A solidariedade CUTista também foi relembrada por Brito. Ele destacou que no início do ano, quando os professores ligados ao Sinpro-DF estavam em luta para receber seus direitos, os trabalhadores rodoviários fecharam o Eixo Monumental em solidariedade aos servidores da educação.

Diretor do Dieese e dirigente do Sindicato dos Vigilantes, José Maria, também lembrou do histórico de lutas da Central. “Qualquer coisa que a gente vai fazer, a CUT está em 1º a frente das lutas”

Representando a CUT Nacional, o diretor Antônio Lisboa destacou os motivos que levaram a CUT a ser a 5ª maior Central Sindical do mundo.

“A construção da CUT se deu em um espaço de tempo pequeno se comparado com o tempo de existência das outras maiores centrais”. Para ele, a CUT tem muito a comemorar: “por isso e por ter participado e estado à frente de todas as conquistas da classe trabalhadora no Brasil nesse período, o que dá à Central reconhecimento em todo o país e no mundo”.

Lisboa também relembrou uma das maiores conquistas da CUT, a eleição do primeiro operário, presidente do Brasil, o ex-dirigente sindical, Luis Inácio Lula da Silva.

Deputada Federal, Erika Kokay (PT), afirmou que “a CUT reacendeu o sentimento de classe, a CUT conseguiu construiu um grande movimento de cidadania e de garantia de direitos”.

Terceirização – Em todas as falas, foram ressaltadas a participação da CUT na luta contra o PL 4330 (hoje PLC 30), que está em tramitação no Senado. Quando outras centrais faziam acordo com os patrões para escancarar a terceirização, a CUT estava em passeata, ocupações e em todos os espaços de trabalho dialogando sobre este nefasto projeto. Chico Vigilante aproveitou a ocasião para convidar os sindicalistas, para uma Audiência Pública justamente sobre o PLC 30, em parceria com o senador Paulo Paim (PT-RS).

Fonte: Marcos Paulo Lima / Assessoria
Foto: Drielle/ CUT Brasília