Clara Charf, 90 anos: uma história de lutas e conquistas para as mulheres

Na última sexta-feira, 17 julho, a guerreira e batalhadora das lutas das mulheres, completa 90 anos. Nas palavras do escritor e jornalista Mario Magalhães, “com nove décadas de vida, Clara continua como na juventude: na luta, e linda”.

Em seu blog, Magalhães conta a trajetória de Clara e a homenageia: “um dia, daqui a décadas, escolas no Brasil terão o nome Clara Charf. Será a homenagem à mulher que abriu mão de muita coisa, por se preocupar primeiro com os outros, sobretudo com quem nada ou pouco tem, em vez de pensar em si mesma”.

Em texto-homenagem, Laisy Moriére, secretária Nacional de Mulheres do PT, relembra que “com o assassinato de seu companheiro, de luta e de vida, e a perseguição do regime militar, Clara, que também foi Marta, foi Cláudia, foi Nice,  e que também já havia sido presa, viu-se obrigada a buscar exílio em Cuba, onde viveu por 10 anos até retornar ao Brasil, em 1979, quando veio a anistia.

No retorno, filiou-se ao PT e, a convite das mulheres do Partido, saiu candidata a deputada por São Paulo. O convite à Clara tinha uma forte razão de ser. Clara era a companheira de Marighella, mas tinha iniciado sua militância antes de conhecê-lo. Clara tinha sua própria história. Carregava consigo a profunda inquietação de quem busca a liberdade, a liberdade no sentido mais amplo, mais profundo, aquela que abarca todos os seres, homens e mulheres, aquela que se traduz no direito de todos e todas terem  acesso à casa, à comida, à educação, à saúde, à cultura; que implica em respeito às diferenças, em autonomia; aquela que compreende a complexidade da vida em sociedade, do exercício da democracia, da paz.”

Assista ao vídeo produzido pelo PT em homenagem à Clara Charf:

Fonte: Fundação Perseu Abramo