Chico Vigilante expõe saldo positivo nas contas do governo

No primeiro dia de sessão ordinária após o recesso parlamentar, o deputado Chico Vigilante subiu à tribuna para apresentar os reais números do caixa do Governo do Distrito Federal.  Durante a sessão ordinária da tarde desta quarta-feira (05), Chico usou os dados do diário oficial, que, segundo ele, desmente os números oferecidos pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB), que teima em dizer que o DF não tem dinheiro em caixa. “De acordo com o balanço do Diário Oficial, neste primeiro semestre de 2015, entre arrecadação e pagamentos, restou um saldo positivo de R$ 1,5 bilhão de reais aos cofres do GDF”, destacou.

 

Apenas nesta quarta-feira, por exemplo, o Siggo mostrava um saldo de R$ 2,3 bilhões.

 

Chico aproveitou o momento para aconselhar Rollemberg a parar de assombrar a população do Distrito Federa, pois a situação só tem gerado insegurança para todos e, especialmente, para os comerciantes. “Os empregos estão caindo, as obras paradas, as pessoas não estão comprando por medo da incerteza que o próprio governo põe ”, colocou Chico.

 

Ele também ressaltou a tentativa de o governo descumprir a lei e não pagar a licença prêmios dos servidores. “Essa situação é a mesma coisa de se fazer economia de palito em festa onde é servido caviar. Ainda bem que a justiça agiu com sensatez e mandou o governo pagar os servidores. Pois é lei, e as leis têm que ser cumpridas. Ele já havia usado esse argumento quando, no início do ano, tentou parcelar os salários dos salários. Na época, nós provamos que tinha dinheiro e ele pagou.

 

Mais médicos:

 

O deputado também aproveitou o comunicado de líderes para falar dos dois anos da implantação do programa Mais Médicos pelo o Governo Federal, “programa que está mudando o panorama de acesso ao atendimento básico de saúde das populações mais pobres e distantes dos grandes centros urbanos brasileiros”.

 

De acordo com os dados apresentados pelo o parlamentar, em dois anos, o programa “Mais Médicos” atende a 4.058 municípios brasileiros o que representa uma abrangência de 72% dos municípios e atende também todos os 34 distritos de saúde indígenas.

 

“Atualmente, são 18.240 médicos atuantes no programa que garantem o atendimento de saúde a mais de 63 milhões de pessoas. Desse total de profissionais, 90% dos participantes são brasileiros, destacou Chico.

 

Segundo ele, uma pesquisa do Grupo de Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais mostra que a média de aprovação dos usuários do programa chega a 9 (nove).  O mesmo levantamento revela também que a maioria dos pacientes é de mulheres (80%), que tem filhos e renda de até dois salários mínimos, além disso “a atenção básica ao paciente é um dos pontos fortes do “Mais Médicos”, e os resultados já são sentidos. Este ano, mais de 91 mil pacientes em todo o país não vão precisar ser internados, graças a esse atendimento”.

Veronica Soares/ assessoria