Chico Vigilante discute situação dos trabalhadores do transporte público no DF

O deputado distrital Chico Vigilante (PT) participou, esta manhã (15), de reunião no seu gabinete com representantes do Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal para discutir a situação do transporte público do DF e dos trabalhadores deste segmento. Uma das principais preocupações deles diz respeito à possibilidade de ruptura do contrato firmado com duas das quatro empresas de ônibus que operam em Brasília e Regiões Administrativas (RAs), a Marechal e a São José, por descumprimento de várias das regras exigidas, dentre as quais, renovação da frota.

Participaram do encontro, o presidente do sindicato, João Dão, ao lado de vários dirigentes sindicais, que demonstraram preocupação com o impacto dessas mudanças junto aos trabalhadores do setor – que totalizam atualmente perto de 2.100 pessoas, entre motoristas e cobradores em todo o Distrito Federal. Esses impactos, conforme explicaram, estão relacionados tanto a questões como possibilidade de desemprego e garantias de direitos trabalhistas como também de segurança deles, uma vez que muitos trabalham em veículos que circulam em situação degradante.

Vigilante, que se dedica ao tema com regularidade ao longo dos seus mandatos enquanto deputado distrital e é conhecido como um parlamentar atuante na busca por um transporte público de qualidade para o DF, tratou de agir. Ele marcou de imediato reunião para tratar do tema com o secretário de Transporte e Mobilidade do DF, Walter Casimiro Silveira e os representantes do sindicato, no próximo dia 23.

Inadmissível – “Não podemos continuar deixando que os moradores do Distrito Federal que precisam de transporte público sejam obrigados a andar em veículos com péssima qualidade, verdadeiras carroças que vivem quebrando no meio da rua e deixando-os em perigo. Sem falar que é preciso ver também a situação dos trabalhadores do setor, que precisam ter seus direitos e garantias assegurados e exercer suas atividades com segurança”, enfatizou o deputado.

O distrital lembrou que a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) tem liberado valores altíssimos a título de tarifa técnica para estas empresas, como forma de ajudar a reduzir o valor das passagens para a população e ajudar a arcar com os custos e reparos de que o setor necessita. Mas destacou que “existe um limite para tudo” e que “as empresas não podem mais ficar descumprindo os prazos estabelecidos, como o de renovação da tropa de ônibus, sem que nada seja feito”.

 

Acompanhe as redes do mandato mais atuante do DF:

facebook.com/chicovigilanteoficial

Instagram.com/chicovigilanteoficial

Twitter.com/Chico_vigilante