Chico pede mais seriedade na CPI da Petrobras

O deputado Chico Vigilante, líder da Bancada do PT, repercutiu, na tarde testa quarta-feira (11), o depoimento do  ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco na CPI que está investigando os casos de corrupção na empresa. Para o deputado, se tivesse mais seriedade, pelo conteúdo do depoimento prestado na tarde da terça-feira (10) e pelo valor que o ex-gerente afirmou ter roubado da empresa, Barusco teria saído algemado do local.

Diante da gravidade dos fatos, Chico lamentou não ser mais um deputado federal, pois, segundo ele, “se estivesse participando daquela CPI, o Pedro Ladrão Barusco teria saído da CPI preso e algemado. Na época em que foi deputado federal, participei de várias CPIs, como a que investigou a pistolagem no Brasil e a que investigou a exploração de crianças. Vi pistoleiros sendo presos. Vi juiz sendo preso, durante a CPI, por estar envolvido coma exploração de crianças”.

O deputado também lamentou o rumo que a CPI está tomando, pois o acursado é funcionário de carreira da empresa e encontrou uma oportunidade de roubar, como lembrou o presidente da Câmara dos Deputados, “quando o então presidente Fernando Henrique Cardoso, substituiu a lei das licitações nº 866 pelo um modelo próprio da Petrobras, que a modalidade de carta convite para qualquer tipo e valor de serviço prestado na empresa. O Pedro Barusco começou roubar nessa época”.

A ironia que o investigado usou durante o depoimento, também foi questionada por Chico. “O elemento chega em uma CPI, diz que roubou U$$ 100 milhões de dólares,  sai impunimente, sorrindo dos membros da CPI e do povo brasileiro e ninguém faz nada. Apenas diz que vai devolver o dinheiro que está na Suiça, porque está com a alma pesada”.  No entanto, segundo lembrou o deputado, “se a Polícia Federal não tivesse investigado, não tivesse autonomia para a investigar o esquema que começou com investigação no Posto do Torre, ele ainda estaria dormindo tranquilamente, mesmo tendo desviado U$$ 100 milhões de dólares”

Chico também criticou a delação premida, pois “mesmo depois do bandido ter desviado milhões, confessar o crime vira herói nacional e ainda tem a pena atenuada. Sem provas, Barusco disse que doou dinheiro para a campanha da presidente Dilma Rousseff e saiu da CPI, tratado pela mídia e por muitos Partidos como um verdadeiro herói. “Aqui no Brasil, qualquer  bandido para quiser virar herói é só atacar o PT. Até mesmo o Fernandinho Beiramar, se ele assumir que traficava para dar dinheiro do PT, ele será  tratado pela grande mídia brasileira como um herói”, ironizou Chico.

 

Chico Vigilante finalizou o seu discurso dizendo que, independente do partido ou ideologia partidária, ladrão tem que ser tratado como tal e tem que ser preso. Diferente do que aconteceu com o Mensalão do PSDB. Depois de se provar que o mensalão iniciou em Minas Gerais, com o então governador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Marcos Valério, mas o caso até hoje não foi julgado. Caiu no esquecimento. “Para discutir com seriedade, vamos acabar com o financiamento privado de campanhas. Temos que instituir o financiamento público, regulamentado e com limitação e aí vai moralizar a questão doação de campanhas no Brasil.