Chico é contra o “Pacote da Maldade” de Rodrigo Rollemberg

Durante a primeira sessão ordinária de 2015, realizada na tarde da quinta-feira (05), o deputado Chico Vigilante usou o espaço do comunicado de líderes para falar sobre o polêmico pacote de arrocho fiscal , enviado pelo governado Rodrigo Rollemberg para ser aprovado em plenário. Apelidado pelo deputado como o “Pacote da Maldade”, está previsto no conjunto de medidas o aumento nos impostos para o trabalhador, por exemplo, o IPTU e o IPVA.

O deputadolembrou que o último grande  aumento no IPTU aconteceu ainda  na gestão do então governador José Roberto Arruda, quando foi reajustado em 16%. Chico destacou que é inaceitável que se aprove o conjunto de medidas previsto.  “Nesse pacote que está aí, daqui pra frente, enquanto Brasília existir, o IPTU será corrigido de acordo com o IPC do ano e mais 20%. Ele não limita o tempo. Eu não conheço uma categoria de trabalhador que tenha tido 20% de reajuste real em seu salário em um ano”, pontuou.

Para Chico, existem outras medidas que poderiam ser adotadas, “para evitar esse arrocho. Alguém vai se dispor a pagar isso? Alguém está disposto a ir para esse sacrifício?”.

Além da votação do Pacote da Maldade, Chico também destacou a Manchete do Jornal Correio Braziliense dessa quinta-feira (05), que diz que o governador, juntamente com o Ministério Público, vai entrar na Justiça para barrar os reajustes salariais dos servidores públicos, concedidos em 2013 e 2014. Ele lembrou que todos os reajustes dados a diversas categorias foram votados legalmente na Câmara Legislativa e estão dentro da lei. “Foram votados legalmente por esta casa, não teve nenhum questionamento pelo Ministério Público e nem pelo Tribunal de Justiça.  Agora não adianta a equipe da maldade, importada de Minas Gerais pelo senhor Rodrigo Rollemberg, que é esse secretário tucano, chamado de Lúcifer pelo servidores públicos de Minas, ele não pode querer exigir que os servidores abram mão dos seus reajustes”, destacou. “Os servidores não ganham nenhum um presente. Eles foram a luta, se mobilizaram , o governo concedeu legalmente”, completou.

 

Chico aproveitou para mandar o recado: “Governador, não mecha com esse terreno, porque todo mundo que entrou contra os servidores foi derrotado por eles”.  Quem revoga uma lei é outra lei.  Não adianta ir ao Tribunal para tentar revogar porque já passou do tempo. Não adianta achar que o no Tribunal era mais fácil, o debate se dá aqui. Votamos legalmente. Ninguém obrigou a gente aprovar. Eu quero dizer que contra reajuste de servidor eu não voto nem com uma R15 na cabeça”.